Google+ Followers

27 de junho de 2016

Do fim da semana prolongada:







S. João até às tantas. Sunset de S. João com churrascadas e caldo verde. Amigos. Limpezas da semana. Relax e gelados. Preguiça. Muito calor. Filmes e sofá fresquinho. Seleção portuguesa. Vitória sofrida mas muito comemorada. Cafezadas. Noites quentes. Praia com muito vento. Água boa. Cheiro a praia. Inspirar e expirar, relaxar. Família. Banhos cheirosos e demorados. Oficialização de "casamento" de uma irmã. Massa com carne picada e jantar na varanda. Cheesecake, gelatina e melancia. Amigos, amigos para a vida. Coisas boas. Risota, conversa e cumplicidade. Tralhos. Mais risota e boa disposição. Marcações de um próximo encontro. Noite dentro. 

Que prolongadamente bons foram estes três dias.







21 de junho de 2016

Do S. João:






Mais um ano, mais um S. João. Adoro esta festividade. Fazemos churrascadas, bebemos refrescos, cervejas e sangrias, juntamos as amizades, rimos até às quatro da manhã.
Há já alguns anos que fazemos sempre no mesmo espaço, mas este ano as coisas estão um pouco diferentes: alguns amores quebraram e consequentemente algumas amizades foram ficando mais escassas. Assim sendo, de raparigas somos poucas (mas boas, já diz o velho ditado). A mim calhou-me fazer todas as sobremesas ( nada de muito elaborado porque trabalho até tarde) e ainda algumas entradas. Optamos por coisas simples, porque não temos tempo para elaborar um jantar requintado, e sinceramente queremos é coisas descontraídas. Esta é uma altura de farra e não de etiqueta. Os pratos e os talheres vão ser de plástico, o grelhador vai ficar a cargo dos homens  e do caldo verde e das saladas tratamos nós. 
Tão bom esta descontração quase no fim da semana. 


Oh meu rico S. João...







Das músicas:











Esta semana acordei com vontade de ouvir The Temper Trap
Alguém que me leve ao SBSR?! Ah, e já agora que me empreste dois ou três dias de férias? Porque isso também se tornou escasso.





Das estações do ano:






Olá verão, bem vindo. Tu és a estação do ano que me torna bipolar... *humpf*
Embora adore trinta mil coisas no e do verão, detesto aqueles dias de imenso calor em que tenho que estar a trabalhar em vez de estar numa piscina. Detesto aqueles dias de tanto sol que me faz doer a cabeça e os olhos e me torna a pessoa mais "mole" do mundo. Detesto aqueles dias em que o calor é tanto que me tira a vontade de tudo, inclusivé de dormir... 
Só espero que este ano consiga aproveitar mais de dias na água salgada, na água com cloro, em piqueniques à sombrinha, em refrescos nas esplanadas...
Não fiques chateado comigo, sabes bem que me fazes sentir assim...







15 de junho de 2016

Do Euro 2016:








Primeiro jogo feito. Não trouxemos uma vitória mas ganhamos um ponto com o empate. 
Nervosismo à mistura, um onze inicial que eu trocaria para Renato Sanches e Quaresma de início e pouco apoio das bancadas. Dois terços do estádio estavam repletos de portugueses e desde o início do jogo só conseguíamos ouvir os islandeses a apoiar a sua seleção. Fico triste, não pelo resultado em si, mas pela maneira como nós portugueses às vezes não percebemos o quanto o nosso apoio é importante. Como jogadora de um desporto coletivo, sem bem do que falo.


Outra coisa que me revolta, são os comentários parvos de pessoas frustradas ( só podem ) que apenas só sabem dizer mal dos nossos jogadores: ou porque o Cristiano não vale nada, ou porque não tivemos garra, ou porque o chouriço transmontano está a dez euros o quilo. Por favor, cabeças pequeninas... 
Eu acredito, eu monto todo o estaminé para ver Portugal jogar, eu apoio de todas as maneiras possíveis porque nós somos uma Nação, e para quem ainda não percebeu isso, arrisco-me a dizer que nasceu no local errado.

A forma como começa nem sempre importa, interessa é como termina.  Nunca ninguém disse que ia ser fácil, e nós...oh meus caros, nós somos mais fortes.


Força Portugal!




Dos filmes:











The Spectacular Now.







Das escritas:








 Ele consegue sempre colocá-la num turbilhão de emoções.Não sabe o que dizer, não sabe o que pensar, até já nem sabe o que ouvir.
Há pessoas que são sempre tão "nossas", e ele vai sempre ser uma das pessoas "dela". Calculo que ela também será sempre "sua". Há coisas que por mais que ela tente dar a volta, não há volta a dar, e o amor é mesmo assim. Amor, paixão, dois seres num só, chamem-lhe aquilo que bem entenderem desde que ele entenda. E ele entende, ela sabe que ele entende. Vê os sinais dela e ela de esguelha também consegue ver os seus. São palavras escritas, palavras ditas em voz alta (porque só assim fazem sentido), olhares que nem precisam de palavras, sorrisos que se completam, toques de pele que arrepiam a alma.
 Há quem sinta borboletas na barriga, ela sente borboletas e tornados em todo o corpo.









14 de junho de 2016

Das frases:









Dados adquiridos, passos dados.









Dos festivais:








Festivais  são um bocadinho a minha perdição de verão. Adoro música, e o Nos Primavera Sound foi a perdição deste ano.
Foi o primeiro ano que fui a este festival e simplesmente adorei e só penso em repetir em 2017.
O preço dos bilhetes é que torna tudo mais complicado (55€ o passe diário), e como tal, este ano tive que fazer uma opção: ou não ir ( mas tinha Air, Pj Harvey, Linda Martini, Sigur Rós...) ou ir sozinha (pois não havia estofo para mais um bilhete, o do maridão).
Fui com um grande amigo meu e foi espetacular. Fomos apenas a um dia, optamos por sábado, dia de Air e Linda Martini. 
Já só tenho saudades de estar naquelas grades, da coroa de flores, dos passatempos, das fotografias, da multidão, dos momentos que queria voltar a "ver". Estão guardados do meu lado esquerdo, com muito amor e ainda muito vivos.




Até 2017, Nós Primavera Sound.







9 de junho de 2016

Das coisas boas:








Eu tenho o melhor marido do mundo. Poderia estar aqui a enumerar todas as coisas que me fazem pensar e sentir assim, mas a verdade é que é tudo tão bom que quero guardar só para mim. Mas quero gritar ao mundo que me sinto uma pessoa especial por ter todo este amor. 

We´re meant to be.
We´re so fucking special, babe!






2 de junho de 2016

Dos acontecimentos:








Amanhã é dia de casamento. Uma sexta-feira, que a continuar como os dias desta semana, vai estar repleta de bom tempo. Estou ansiosa porque gosto de ver pessoas felizes a casar. Olhar nos olhos de alguém e saber que a felicidade reside ali, é tão bom. Uma amizade que já conta com nove anos de vida. Uns dias mais outros dias menos presentes, mas sempre lá.
Ao fim de três anos, a tradição cumpre-se. O meu ramo de noiva, apanhado por ti, vai dar frutos.

Roupa escolhida, penteado definido, maquilhagem natural e sorriso nos lábios.
Até amanhã,minha noiva.










Dos pensamentos:














Sabem o que é engraçado nos amores impossíveis?

Eles chegarem a realizar-se.